Envie uma mensagem
Chat
online
Fale com um consultor
Fale via whatsapp
BLOG

CRI: entenda como funciona o Certificado de Recebíveis Imobiliários

24/05/2019
ASSINE NOSSA NEWSLETTER:

Entender como funciona o Certificado de Recebíveis Imobiliários, também comumente chamado pela sigla CRI, fará com que você tenha uma alternativa importante na hora de investir em imóveis. Afinal, o sistema brasileiro tem evoluído bastante e hoje, pensar apenas na poupança como forma de angariar recursos já é algo ultrapassado.

Criado em 1997 por meio da Lei 9.514, o CRI foi um marco importante para trazer mais opções aos investidores do mercado imobiliário como forma de criar lastros de operações de crédito para compra de imóveis de forma mais consistente e confiável.

Se você ainda não domina o que é o Certificado de Recebíveis Imobiliários e quer se aprofundar sobre isso, a fim de aproveitar as oportunidades que essa alternativa traz, continue lendo e aprenda com as informações a seguir.

Quais os tipos de CRIs?

Os CRIs se dividem basicamente em dois tipos principais: o pulverizado e o corporativo. A melhor opção a ser tomada dependerá do seu perfil de investidor e o que espera alcançar por meio da alocação de seus recursos. Para detalhar melhor cada um desses tipos, vamos especificá-los para você logo abaixo. Confira!

Pulverizado

O tipo pulverizado pode se aplicar melhor a investidores que estejam interessados em ativos habitacionais ou mesmo aqueles provindos de aluguéis de centros comerciais como shoppings, por exemplo. Os contratos têm diversos mutuários que provém tanto da compra e venda de imóveis quanto dos aluguéis citados anteriormente.

Corporativo

O tipo corporativo, como o próprio nome sugere, está mais ligado à construção de galpões, grandes armazéns e construções feitas sob medida, como no contrato built to suit, além de ser usado para venda de ativos como no Lease-Back. Quem tem interesse em movimentações maiores no mercado imobiliário, encontra no modelo corporativo o ambiente certo para investir.

Quais as vantagens?

Bom, como o CRI é um investimento de renda fixa, sendo possível prever seus rendimentos e qual a estimativa para um determinado período, ele se enquadra nos tipos de investimento de baixo risco. Ainda que ele não possa ter o valor resgatado tão rapidamente quanto em outros tipos de investimento é bastante vantajoso por sua segurança e por estar diretamente ligado ao mercado imobiliário.

Outra vantagem para quem investe no CRI é a isenção do imposto de renda e do imposto sobre movimentações financeiras (IOF). Isso certamente é benéfico já que você não perde dinheiro tendo que devolver o que investiu e ganhou devido a essas tributações.

Além disso, é possível encontrar CRIs que operam sobre diferentes taxas do mercado como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), spread CDI, prefixado ou percentual do CDI. Isso significa mais opções para você e maior poder de escolha. Assim, você pode optar por aquele que melhor cabe em seu perfil de investidor e nos interesses que vem buscando no mercado imobiliário.

Quais são os fatores de risco?

O CRI não é garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) que é nada mais que uma associação de agentes financeiros que se dedicam a garantir que caso a instituição financeira a qual você comprou os ativos venha à falência, você possa recuperar o seu dinheiro dentro de um período de tempo estipulado em contrato.

Apesar do Certificado de Recebíveis Imobiliários ser originalmente vendido apenas em investimentos na casa dos 100 mil reais, é possível adquiri-lo em frações menores que podem chegar a valores módicos de 100 reais, por exemplo, por meio de fundos imobiliários com participação em CRI. Isso certamente facilita o investimento e o torna menos arriscado já que não é necessário entrar logo de início com uma grande quantia de dinheiro para colher os frutos possibilitados por esse investimento.

Como é a rentabilidade?

A rentabilidade dependerá do modelo escolhido que podem variar entre:

  • Percentual do Certificado de Depósito Bancário (CDI);

  • Percentual do Certificado de Depósito Bancário (CDI) com spread (acrescido de um prêmio);

  • índice de preços como Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), dentre outros.

De acordo com a rentabilização escolhida e como ela estiver operando no momento em que você fizer a aquisição do seu CRI, se torna possível dizer com mais precisão qual a rentabilidade a ser alcançada. Uma coisa é certa: o CRI é conhecido por sua alta rentabilidade ainda que a liquidez seja baixa.

E você pode estar se perguntando: o que é liquidez, não é mesmo? Liquidez é nada mais que o tempo que um bem leva para se converter com dinheiro. Assim sendo, quando quantias maiores de dinheiro estão alocadas em um investimento é natural que o tempo para que ele seja liquidado se torne maior. Todavia, conforme vamos explicar no próximo tópico existem formas de você investir em CRI com montantes menores e liquidar mais rapidamente o seu investimento. Prossiga com a leitura para aprender mais.

Como funcionam os prazos?

Bom, como uma das modalidades do CRI envolvem investimentos altos, como aqueles acima da casa dos 100 mil reais, é natural que o prazo das operações também sejam mais extensos. Em exemplos como esse, elas podem durar anos para serem resgatadas e é importante ter isso em mente já que todo investimento traz vantagens e desvantagem, mesmo quando tem boa rentabilidade como no caso do Certificado de Recebíveis Imobiliários.

Todavia, como ele também é vendido por meio de fundos imobiliários com participação no CRI é possível comprar cotas menores e liquidar mais rapidamente. Para quem tem mais urgência e não se importa em colher frutos menores nesse tipo de investimento, acaba sendo uma ótima alternativa.

O importante, mais uma vez, é você saber bem qual o seu perfil de investidor e o que está buscando ao investir em CRI. Tendo clareza sobre esses aspectos, você consegue definir a melhor estratégia e alocar seus recursos de forma correta.

Como pode ver, o Certificado de Recebíveis Imobiliários é uma opção bastante interessante para quem pensa em investir em fundos relacionados a imóveis. Afinal, o mercado financeiro brasileiro amadureceu muito nas últimas décadas e vem despertando cada vez mais o interesse de diversas pessoas. Aproveite que agora tem as informações certas para fazer uma escolha acertada no momento de fazer o seu próximo investimento.

Se gostou de entender como funciona o CRI, aproveite para nos seguir nas redes sociais como, Facebook, Instagram, LinkedIn, Youtube e continuar por dentro do nosso conteúdo.

 

ASSINE NOSSA NEWSLETTER: